O Novo Ministério e o Candidato à Presidência em 2018.

Raul Jungmann toma posse como ministro da Segurança Pública, demite Fernando Segovia, Rogério Galloro será o novo diretor-geral da Polícia Federal.

O jogo político é feito de riscos calculados com antecendência.

O USURPADOR tem conhecimento que não terá respaldo público para arriscar uma candidatura ao cargo máximo do país, e sendo assim, os planejadores do atual governo (Governo do USURPADOR), mexem suas cartas e preparam o ex- Ministro da Defesa para ser o candidato da situação.

Uma boa bandeira de luta é:
a luta contra a violência.

Um bom respaldo apesar dos riscos é:
o respaldo militar.

O IPEA em 05/06/2017 apresentou o: ATLAS DA VIOLÊNCIA 2017 MAPEIA OS HOMICÍDIOS NO BRASIL, que indica: “os homens jovens continuam sendo as principais vítimas: mais de 92% dos homicídios acometem essa parcela da população. Em Alagoas e Sergipe a taxa de homicídios de homens jovens atingiu, respectivamente, 233 e 230,4 mortes por 100 mil homens jovens em 2015.

A cada 100 pessoas assassinadas no Brasil, 71 são negras. De acordo com informações do Atlas, os negros possuem chances 23,5% maiores de serem assassinados em relação a brasileiros de outras raças, já descontado o efeito da idade, escolaridade, do sexo, estado civil e bairro de residência.

Os dados sobre mortes decorrentes de intervenção policial apresentam duas variações: as analisadas por números do SIM na categoria “intervenções legais e operações de guerra” (942) e os números reunidos pelo FBSP (3.320) em todo o país. Os estados que mais registraram homicídios desse tipo pelo SIM em 2015 foram Rio de Janeiro (281), São Paulo (277) e Bahia (225). Pelos dados do FBSP, foram registrados em São Paulo 848 mortes decorrentes de intervenção policial, 645 no Rio de Janeiro 645 e 299 na Bahia.”

Diante desse quadro e com a derrota na reforma da previdência – que nem foi à votação, o Governo USURPADOR, prepara o bote: JUNGMANN PRESIDENTE.

Esse será o novo mote, que após uma segunda INTERVENÇÃO FEDERAL em um Estado do NORDESTE, catapultará essa candidatura oriunda do GOVERNO USURPADOR.

Com um nome respaldado pela luta contra a segurança, com passagem apaziguadora no Ministério da Defesa e oriundo de um pequeno partido o PPS, que ainda traz como origem o PCB.

É uma cartada de mestre.

O problema é que desconhece, e não pensa, nas cartas que estão nas outras mãos, e conta com a  decisão judicial pré-acordada.

O tempo é curto, a desvinculação de cargo para poder se candidatar tem o prazo final em 07 de abril de 2017.

É viver pra ver!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *