A FRITURA do PT

A luta contra o IMPEACHEMANT da Dilma Rousseff foi menosprezada, na minha visão pessoal, pelo PT.

Enquanto os adversários a partir do dia seguinte à derrota, se imbuíram de vontade coletiva, o PT calou.

Hoje os adversários assistirão mais uma etapa da luta em busca de cassar o PARTIDO dos TRABALHADORES, e o partido acredita na justiça dos caçadores petistas.

O lider judiciário do PSDB, já tem organizado hoje no TSE um pedido de vistas, pois na atual visão política não é um bom momento para torrar o USURPADOR.

Ainda tem gordura para ser frito em fogo brando.

E o PT quando reagirá?

A luta política, da mesma forma que sedeu na re-eleição da DILMA ROUSSEFF se dá na militância que busca impedir nova derrota com o grito:

STF ANULA O IMPEACHEMANT!
========================================
SOBRE O PROCESSO DE CASSAÇÃO DA CHAPA DILMA-TEMER QUE PODERÁ SER JULGADO AMANHÃ (06/06) PELO TSE

Para cassar o Temer o TSE terá que REPROVAR as contas do PT, as mesmíssimas que já foram aprovadas em 2014, sentenciando agora que parte desses recursos de campanha teriam sido oriundos da CORRUPÇÃO DA PETROBRÁS e que a vitória de Dilma nessa eleição (fruto da luta incansável da militância petista contra todos os setores da burguesia e do oligopólio da mídia) teria sido ilegal! Trocando em miúdos: se o petista deseja que o TSE casse Temer terá que aceitar ser chamado de CORRUPTO e que a linda vitória que tivemos em 2014 não ocorreu da força e da garra coletiva da militância de toda uma nação contra os retrocessos, mas sim que foi fruto de uma fraude!!!

Será que não é um preço muito alto pelo imediatismo do “Fora Temer”? Não seria mais sensato apostarmos no processo da “Anulação do Impeatchment” que corre no STF ou mesmo na ação criminal que Temer responde também no STF, do que nos jogarmos ao precipício junto com ele? Alguém faz idéia das consequências imprevisíveis nefastas que isso poderá acarretar ao PT? E a condenação de uma inocente à perda dos direitos políticos por 8 anos, o que o PT teria a dizer sobre isso? Irá mesmo “lavar as mãos” como fez Pilatos?

Contrária a essa posição de suposta “neutralidade” do PT diante de um julgamento seríssimo que poderá ocorrer amanhã, o qual irá sentenciar se o partido fraudou ou não uma eleição, a chapa inscrita no 6o Congresso “Anular o Impeachment para Eleger Lula”, composta por membros de comitês pela Anulação de vários estados e mais o Núcleo de Ação Pela Democracia Popular/SP, apresentou a seguinte proposta de emenda para ser vinculada ao texto oficial ou para que saísse (ao menos) como moção do Congresso:

“Proposta – ABSOLVIÇÃO DILMA TSE

“O Partido dos Trabalhadores, reunido neste 6o. Congresso, se manifesta pela improcedência do processo de cassação da chapa encabeçada pela presidenta eleita Dilma Rousseff, por considerar que a campanha seguiu todas as exigências impostas pela legislação eleitoral no pleito em questão, tal como foi constatado no primeiro julgamento das contas de campanha, aprovadas por unanimidade por esse mesmo tribunal em 10/12/14.”

Essa proposta foi recusada em uma dos grupos de trabalho. Isso mesmo, RECUSADA!!! Os delegados ali presentes simplesmente não quiseram atestar que as eleições de 2014 foram vencidas honestamente pelo PT! Felizmente, em outra mesa, a mesma proposta foi encaminhada para a comissão de sistematização do Congresso, a qual aguardará por tempo indeterminado a definição do Diretório Nacional para ser ou não incluída entre os textos finais do Congresso.

Visto que o Julgamento poderá ocorrer amanhã, ainda há tempo para que a CEN tome alguma providência e tire alguma nota oficial a este respeito. Enquanto há tempo há esperança. Caso contrário, essa pode ser uma daquelas decisões que o PT passará anos e anos arrependendo-se. Isso sendo otimista, de que o PT terá essa oportunidade de arrepender-se e corrigir mais essa posição desastrosa. Certamente que não é essa a opção que os golpistas desejam para nós.

Maurílio Araújo
Membro do DMSP – PT
Coordenador do NADP-PT
Este texto analisa o significado do julgamento no TCE da chapa Dilma/Temer. As propostas de emendas ao texto do congresso do PT que apresentamos, tratavam dos julgamentos no TCE e no STF.
=======================================
MANIFESTO POR DIÁLOGO COM A SOCIEDADE PELA ANULAÇÃO DO IMPEACHMENT
Manifestamos, neste documento, nossa proposta de diálogo com a sociedade no sentido de resgatar nossa identidade como cidadãs e cidadãos de um Estado de Direito tão arduamente conquistado durante décadas de luta contra a Ditadura Militar e os governos neoliberais.
Considerando inclusive o caráter misógino e machista do Golpe de Estado travestido de impeachment, do qual foi objeto nossa presidenta eleita Dilma Vana Rousseff , queremos erigir um movimento de repúdio ao governo golpista que recoloque a soberania popular no centro da reconstrução nacional. Liderados por Dilma, que representa a soberania do povo, poderemos iniciar um grande diálogo fraterno e de busca de nossa identidade nacional popular.
Esse diálogo parte de alguns pontos que consideramos fundamentais para iniciar e agregar diversas visões que contemplem nossa necessidade de garantia de direitos estruturais à classe trabalhadora e à sociedade civil organizada.
Lutamos pela Anulação pelo STF do Golpe de Estado travestido de impeachment e a imediata volta de Dilma Rousseff ao cargo máximo do Executivo Brasileiro por:
1) RESISTÊNCIA CONSTITUCIONAL: hoje, lutar pela volta da Presidenta eleita representa garantir a Lei Maior e sua acolhida à expressão da cidadania como presunção de inocência até prova em contrário.
2) RESPEITO A DEMOCRACIA: os 54 milhões e meio de votos de Dilma balizam o entendimento de que só essa representatividade expressa da consciência nacional quanto aos rumos escolhidos e definidos por meio das urnas é que pode refundar um novo pacto que respeite os anseios do conjunto da sociedade brasileira.
3) GARANTIA DE ELEIÇÕES EM 2018: somente a volta de Dilma Rousseff, como a expressão da manifestação da legitimidade daquilo que as urnas apresentaram em 2014, garantirá, no nosso entender, que ocorram eleições em 2018 e que seus resultados, desta vez, sejam respeitados.
4) ANULAR OS ATOS E REFORMAS DO GOVERNO GOLPISTA: a volta de Dilma Rousseff inaugurará um resgate da democracia e, portanto, das bases sociais que hoje lutam para se opor às reformas antipopulares de Temer. E isso nos dará força para a anulação de todos os atos feitos por Temer. Acreditamos que o foco principal da luta popular contra o maremoto neoliberal que aflige a todos é a afirmação da luta democrática, republicana e constitucionalista por um projeto de Nação que nos inclua, defina e liberte nossos horizontes como cidadãos protagonistas de um presente e um futuro melhores para todos.

#VoltaDilma

Comitê Anula o Golpe Volta Dilma – Porto Alegre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *