SURUBA É SURUBA declarou o REI MOMO JUCÁ!

Sexta-feira de carnaval e a vontade de pular nos blocos não me envolveu. Fruto da merda em que o país se meteu e o povo aceitou calado.

BLOCO POPULAR FORA TEMER
BLOCO POPULAR FORA TEMER

Não tem jeito, é só chegar no Carmelitas que tudo que eu disser aqui não vale mais.

Sei que é assim.

De novo, só mais um carnaval com porre antecipado, e assim, irei vibrar no

Bloco Popular Fora Temer

lá na Cinelandia hoje: não deixem de ir.

Mas no fundo o que eu queria era milhões na rua cantando:

VOLTA DILMA!

e não era porque a elegi, era porque se assim fosse, eu viveria num lugar que haveria respeito pela DEMOCRACIA.

O Brasil é tão louco que um Senador conservador e de direita declara:

SURUBA É SURUBA!

E ninguém se espanta, nem com troca troca de ministro do USURPADOR.

ASSIM VOU PRO CARNAVAL e lembrar dos Mamonas Assassinas:

… Roda, roda e vira, solta a roda e vem

Me passaram a mão na bunda e ainda não comi ninguém

Roda, roda e vira, solta a roda e vem

Neste raio de suruba, já me passaram a mão na bunda

E ainda não comi ninguém!

VIVA O SENADO BRASILEIRO

e o

REI MOMO JUCÁ!

==================================O texto abaixo é próprio pra quem quiser passar o carnaval em um retiro espiritual.

Creio que acabou essa moda:

O cenário é mais ou menos esse: amigo formado em comércio exterior que resolveu largar tudo para trabalhar num hostel em Morro de São Paulo, amigo com cargo fantástico em empresa multinacional que resolveu pedir as contas porque descobriu que só quer fazer hamburger, amiga advogada que jogou escritório, carrão e namoro longo pro alto para voltar a ser estudante, solteira e andar de metrô fora do Brasil, amiga executiva de um grande grupo de empresas que ficou radiante por ser mandada embora dizendo “finalmente vou aprender a surfar”.

Você pode me dizer “ah, mas quero ver quanto tempo eles vão aguentar sem ganhar bem, sem pedir dinheiro para os pais.”. Nada disso. A onda é outra. Venderam o carro, dividem apartamento com mais 3 amigos, abriram mão dos luxos, não ligam de viver com dinheiro contadinho. O que eles não podiam mais aguentar era a infelicidade.

Engraçado pensar que o modelo de sucesso da geração dos nossos avós era uma família bem estruturada. Um bom casamento, filhos bem criados, comida na mesa, lençóis limpinhos. Ainda não havia tanta guerra de ego no trabalho, tantas metas inatingíveis de dinheiro. Pessoa bem sucedida era aquela que tinha uma família que deu certo.

E assim nossos avós criaram os nossos pais: esperando que eles cumprissem essa grande meta de sucesso, que era formar uma família sólida. E claro, deu tudo errado. Nossos pais são a geração do divórcio, das famílias reconstruídas (que são lindas, como a minha, mas que não são nada do que nossos avós esperavam). O modelo de sucesso dos nossos avós não coube na vida dos nossos pais. E todo mundo ficou frustrado.

Então nossos pais encontraram outro modelo de sucesso: a carreira. Trabalharam duro, estudaram, abriram negócios, prestaram concurso, suaram a camisa. Nos deram o melhor que puderam. Consideram-se mais ou menos bem sucedidos por isso: há uma carreira sólida? Há imóveis quitados? Há aplicações no banco? Há reconhecimento no meio de trabalho? Pessoa bem sucedida é aquela que deu certo na carreira.

E assim nossos pais nos criaram: nos dando todos os instrumentos para a nossa formação, para garantir que alcancemos o sucesso profissional. Nos ensinaram a estudar, investir, planejar. Deram todas as ferramentas de estudo e nós obedecemos. Estudamos, passamos nos processos seletivos, ocupamos cargos. E agora? O que está acontecendo?

Uma crise nervosa. Executivos que acham que seriam mais felizes se fossem tenistas. Tenistas que acham que seriam mais felizes se fossem bartenders. Bartenders que acham que seriam mais felizes se fossem professores de futevolei.

Percebemos que o sucesso profissional não nos garante a sensação de missão cumprida. Nem sabemos se queremos sentir que a missão está cumprida. Nem sabemos qual é a missão. Nem sabemos se temos uma missão. Quem somos nós?

Nós valorizamos o amor e a família. Mas já estamos tranquilos quanto a isso. Se casar tudo bem, se separar tudo bem, se decidir não ter filhos tudo bem. O que importa é ser feliz. Nossos pais já quebraram essa para a gente, já romperam com essa imposição. Será que agora nós temos que romper com a imposição da carreira?

Não está na hora de aceitarmos que, se alguém quiser ser CEO de multinacional tudo bem, se quiser trabalhar num café tudo bem, se quiser ser professor de matemática tudo bem, se quiser ser um eterno estudante tudo bem, se quiser fazer brigadeiro para festas tudo bem!

Afinal, qual o modelo de sucesso da nossa geração?

Será que vamos continuar nos iludindo achando que nossa geração também consegue medir sucesso por conta bancária? Ou o sucesso, para nós, está naquela pessoa de rosto corado e de escolhas felizes? Será que sucesso é ter dinheiro sobrando e tempo faltando ou dinheiro curto e cerveja gelada? Apartamento fantástico e colesterol alto ou casinha alugada e horta na janela? Sucesso é filho voltando de transporte escolar da melhor escola da cidade ou é filho que você busca na escolinha do bairro e pára para tomar picolé de uva com ele na padaria?

Parece-me que precisamos aceitar que nosso modelo de sucesso é outro. Talvez uma geração carpe diem. Uma geração de hippies urbanos. Caso contrário não teríamos tanta inveja oculta dos amigos loucos que “jogaram diploma e carreira no lixo”. Talvez- mera hipótese- os loucos sejamos nós, que jogamos tanto tempo, tanta saúde e tanta vida, todo santo dia, na lata de lixo.

(Ruth Manus)

Simples assim!

(Se você gostou desse texto e quer compartilhar, copie e cole no seu mural. Se você apenas compartilhar meu post apenas nossos amigos em comum vão ler.)

PCC defenestra mais um.

Após consagração do PCC, o Ministro Serra prefere deixar o acórdão do USURPADOR.

Após a maior vitória dos fascínoras, começa a debandada, leia no original: http://politica.estadao.com.br/blogs/coluna-do-estadao/lava-jato-pesou-na-decisao-de-serra-em-deixar-ministerio/

Mais uma prova de que: Lula nunca foi dono do triplex

Mais uma prova que Lula nunca foi dono do triplex.
Mais uma prova que Lula nunca foi dono do triplex.

O sal de Minas Gerais.

Minas Gerais
Minas Gerais

Bloco de Segunda COBAL de Botafogo Rio de Janeiro 2017

SEGUNDA DE CARNAVAL na COBAL de BOTAFOGO
Bloco de Segunda COBAL de Botafogo Rio de Janeiro 2017

UM BLOCO DE SEGUNDA 2017

ENREDO: SOU DE SEGUNDA, BELA, GUERREIRA E DO BAR

Autores: Djalma Junior, Carlos Fidélis, Gabriel Goyanes, CBN e Paulo Fraiz

ACORDEI

COM ESPERANÇA DE UM NOVO DIA

HOJE MINHA ARARA VAI VOAR

REIVINDICAR DEMOCRACIA

NÃO VALE A PENA VER DE NOVO

O POVO NÃO É BOBO

E SEMPRE VAI LUTAR

SOU DE SEGUNDA, BELA, GUERREIRA E DO BAR

CEDAE “CÊ” TIRA E O RIO AFUNDA

SÓ NÃO ENTRO PELO CANO

NO MEU BLOCO DE SEGUNDA

É… TIRARAM ELA

ESVAZIARAM AS PANELAS

ESCULHAMBOU, GERAL

DESOBEDECE QUEM TEM JUÍZES

E MORAES NO SUPREMO FEDERAL

PUXANDO O FIO, DESVENDANDO A TEIA

EXCELÊNCIA SEU LUGAR É NA CADEIA

VOU DEITAR E ROLAR…..PECAR

BATERIA CHAMOU , PRA COBAL

CAI NOS MEUS BRAÇOS, NÃO VOU DELATAR

É AMOR DE CARNAVAL

Aqui está  o samba vencedor!!!

MUITO BOM!!!!

SEGUNDA DE CARNAVAL na COBAL de BOTAFOGO
Bloco de Segunda COBAL de Botafogo Rio de Janeiro 2017

PARABÉNS!!!!

O Pior Governo de todo os tempos no Brasil.

O pulha Ricardo Boechat, em 2017, ainda defenderá que a solução para o Brasil é a ditadura.

Ricardo Boechat - o pulha.
Ricardo Boechat – o pulha.

Porque cheguei a essa conclusão  hoje pela manhã, na sua peroração diária matinal, defendeu a condenação ou execração de políticos pelo pensamento que esses vierem ou tiveram a ousadia de expor.

Se os políticos brasileiros expusessem o que pensam, a população poderia fazer opções de voto com maior firmeza, clareza e principalmente se suas proposições fossem ratificadas antes pelo partido político a que pertencem. Deixariam de ser arroubos pessoais e seriam inseridos nas propostas partidárias.

Qual o problema que acontece hoje com o Governo do USURPADOR?

Penso que a principal derrocada desse governo é a falta de propostas para o país.

Não há nada além da união de corruptos que,  buscam destruir unidos, um projeto político que encaminhava a abertura da participação dos despossuídos no acesso à educação, a uma participação do consumo, e aos sonhos de uma viagem até ao exterior e o maior objetivo e impedir o acesso a casas populares.

As viagens já foram retiradas – os aeroportos estão vazios, a educação ainda não atingiu o seu ápice – exterminar o ENEM, mas em parte está vigoroso – não mais haverá um ensino igual, esse é o “novo” plano de educação implantado para todos e pior a escolha do que deve aprender é do próprio aluno. As possibilidades de aprender no exterior foi praticamente extinta.

E a população está calada. A atuação do Governo do USURPADOR é o maior e mais nefasto governo de todos os tempos de existencia do Brasil.

Quem sobreviver verá.

A OPINIÃO PÚBLICA(OP) REDE GLOBO defende as forças armadas nas ruas.

A OPINIÃO PÚBLICA(OP) REDE GLOBO, fracassou em fazer a greve na PM-RJ.

A OPINIÃO PÚBLICA(OP) REDE GLOBO organiza a fracassado greve da PM-RJ.
A OPINIÃO PÚBLICA(OP) REDE GLOBO tentou organizar a fracassado greve da PM-RJ.

E hoje continua no Bom Dia Rio tentando dizer que apesar de não mais ter bloqueio dos familiares a situação não melhorou.

A greve que não houve e a Globo divulgou
A greve que não houve e a Globo divulgou

Na verdade toda essa movimentação tem por objetivo envolver as forças armadas, já que a PM não consegue manter a ordem, segundo a OPINIÃO PÚBLICA(OP) REDE GLOBO, no Espírito Santo e agora no Rio de Janeiro.

greve que não houve e a Globo tentou organizar a greve que não houve e a Globo divulgougreve que não houve e a Globo divulgou no jornal Bom Dia Rio de 13/02/2017 continua a incentivar mesmo declarando que houve grande redução nos 30 bloqueios realizados nos 100(cem) quartéis da PM-RJ.

Esse modelo é o mesmo utilizado em 1964, envolvendo as forças armadas e com a situação descontrolada pelos fracos governos estaduais e federal, assim se prepara as condições para a intromissão de defesa do GOLPE MILITAR que está sendo preparado, para remover o problema da incompetência dos governos.

Cabe agora à parcela majoritária da democrática população brasileira impedir a militarização, ou de forma mais clara ao GOLPE MILITAR no BRASIL.

A OPINIÃO PÚBLICA(OP) REDE GLOBO, utiliza a barbáries cometida no jogo Botafogo x Flamengo, como se estivesse e fosse uma das fases da greve da PM-RJ, a qual tentou mas conduzir mas fracassou.

Jogo Botafogo x Flamengo
Jogo Botafogo x Flamengo

Jogo Botafogo x Flamengo utilizado pela REDE GLOBO como exemplo de desgoverno.

O jornal Bom Dia Rio deu o tom que no Bom Dia Brasil já não foi mantido, em virtude de não mais haver bloqueios na maioria dos 30 que foram tentados desde a semana passada.

jornal Bom Dia Rio - defesa da greve que não vingou.
jornal Bom Dia Rio – defesa da greve que não vingou.

Na abertura do BOM DIA BRASIL 14 de fevereiro de 2017, a repórter Renata Vasconcellos,informa com indisfarçável alegria, que os militares chegam à cidade do Rio de Janeiro por solicitação do Governador Pezão de reforço ao governo federal

Renata Vasconcellos Bom Dia Brasil
Renata Vasconcellos Bom Dia Brasil

para ajudar em virtude da dificuldade da “greve”, que aconteceu em 30 dos 100(cem) quartéis da PM-RJ. Curiosamente a abertura e o jornal Bom Dia Rio, mostrou que havia uma desmobilização muito grande, com o fim dos bloqueios nos quartéis da PM-RJ.

O MÊS DE MARÇO VEM AÍ e a OPINIÃO PÚBLICA(OP) REDE GLOBO, continua a trabalhar pelo golpe militar.

ANULA O IMPEACHEMANT STF!

A VERDADE

Volta Dilma 2017 - Carnaval UOL
Volta Dilma 2017 – Carnaval UOL

O carnaval 2017 começou com uma falsa polêmica, foliões retrógrados querem negar a irreverência brasileira, que se expressa principalmente no carnaval e deixam de tocar as marchinhas carnavalescas mais conhecidas com argumentos tais como:

Não tocamos mais:

Allah-La Ô

Composição: Haroldo Lobo e Nássara
Intérprete: Carlos Galhardo
Ano: 1941

Allah-lá-ô, ô ô ô ô ô ô
Mas que calor ô ô ô ô ô ô

Atravessamos o deserto do Saara
O sol estava quente
Queimou a nossa cara

Allah-lá-ô, ô ô ô ô ô ô
Mas que calor ô ô ô ô ô ô

Viemos do Egito
E muitas vezes
Nós tivemos que rezar
Allah! Allah! Allah, meu bom Allah!
Mande água pra ioiô
Mande água pra iaiá
Allah! Meu bom Allah!

por ser ofensa ao islamismo.

VIVA o CARNAVAL e a IRREVERENCIA BRASILEIRA, ue se aproveita do momento para mostrar verdades.

Anula o IMPEACHEMANT STF!
Anula o IMPEACHEMANT STF!
Volta Dilma 2017 - Carnaval UOL
Volta Dilma 2017 – Carnaval UOL
Volta DILMA - Anula o IMPEACHEMANT STF!
Volta DILMA – Anula o IMPEACHEMANT STF!
Anula o IMPEACHEMANT STF!
Anula o IMPEACHEMANT STF!

OPINIÃO PÚBLICA(OP) – REDE GLOBO tentar fazer greve da PM-RJ

A REDE GLOBO NÃO CONSEGUIRÁ TRANSFORMAR O RIO DE JANEIRO no caos que está ocorrendo no Espírito Santo.

A campanha da OPINIÃO PÚBLICA(OP) REDE GLOBO objetivando criar o caos no Rio de Janeiro
A campanha da OPINIÃO PÚBLICA(OP) REDE GLOBO objetivando criar o caos no Rio de Janeiro

São 07:27 h 10 de fevereiro de 2017.

Os jornalistas da REDE GLOBO mostram desanimam e lamentam, mas fazem cara de paisagem por noticiar que o Rio de Janeiro está normal e que poucas pessoas na saída dos Batalhões não impedem a saída dos PM.

O ar de frustação da REDE GLOBO, mostra a disposição da OPINIÃO PÚBLICA(OP) REDE GLOBO de passar o dia chamando e incentivando a GREVE DA PM-RJ.

Nesse instante entrevista um PM no jornal BOM DIA RIO.

O âncora do Bom Dia Rio pergunta como stá funcionando a troca de guarda da PM nas ruas do Rio, o PM diz aue está lcorrendo normalmente.

Por que a OPINIÃO PÚBLICA(OP) REDE GLOBO TV GLOBO quer fazer o caos do Espirito Santo no Rio de Janeiro?

FHC em depoimento ao juiz Moro 09/02/2017

Leia informe do depoimento de FHC ao juiz Moro:

FHC
FHC

http://lula.com.br/fhc-desmonta-tese-da-lava-jato-sobre-acervo-presidencial-de-lula

JUSTIÇA
FHC desmonta tese da Lava Jato sobre acervo presidencial de Lula
Em depoimento em Curitiba, ex-presidente do PSDB explica como funciona a manutenção do acervo presidencial e recebe por três vezes pedidos de desculpas do juiz Sérgio Moro
Publicado em 09/02/2017 TWITTER FACEBOOK

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso sancionou uma lei que regulamenta a manutenção do acervo presidencial, considerado de “interesse público do Brasil”
Foto: Instituto FHC
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso depôs nesta quinta-feira (9) para o juiz de primeira instância Sérgio Moro na ação penal que a Lava Jato move contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a ex-primeira-dama Dona Marisa Letícia e o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto. Fernando Henrique, elencado como testemunha de defesa, depôs em especial sobre o acervo presidencial, que a Lava Jato chama de “objetos pessoais” de Lula e coloca em sob julgamento no processo que move contra o ex-presidente petista.

FHC afirmou que a troca de presentes entre presidentes e líderes de nações são formais e acabam por gerar um acervo presidencial. De acordo com uma lei federal, cuja regulamentação foi estabelecida durante o governo do ex-presidente, o acervo pessoal é considerado de interesse público no Brasil. Assim, o fato é que, de acordo com FHC, o acervo de cada ex-presidente acaba por se tornar “um problema” para o ex-mandatário, já que este passa a possuir uma coleção de objetos que são de interesse público mas que geram demandas pessoais de depósito. “Um problema imenso. Como o acervo é de interesse público, você (qualquer ex-presidente) apela para doadores, porque você é obrigado a manter a coleção de objetos, mas não tem recurso para manter., explicou Fernando Henrique”.

FHC afirmou que faz uso da Lei Roaunet para manter o acervo que lhe cabe, e que tal material pode até, se o ex-presidente quiser, ser vendido, após ser oferecido, antes, ao Tesouro Nacional.Em que pese tal opção legal, Fernando Henrique disse: “Claro, eu não vendi nada”. Lula também não vendeu.

Em seu depoimento, o ex-presidente disse que seu acervo é “enorme”, com milhares de documentos, muitos mantidos em locais refrigerados. Ele contou também que, em virtude de seu histórico acadêmico, é muito preocupado com a preservação desse material. O acervo de Lula, colecionado em mais de uma dezena de containers, hoje está arrestado pela Operação Lava Jato e manipulado por pessoas sem experiência em preservação ou catalogação de documentos históricos.

FHC esclareceu que o acervo não incide legalmente como patrimônio pessoal. Quando perguntado se isso é adicionado ao imposto de renda, ele esclareceu que tal material não entra na sua declaração de bens, e que o valor desses objetos é histórico, não patrimonial. E que empresas, como a Odebrecht, contribuíram para seu Instituto, não havendo nada de ilegal nessas contribuições, ao contrário do que faz crer as acusações dos procuradores da Lava Jato, feitas exclusivamente contra o ex-presidente Lula. FHC confirmou que houve uma reunião com empresários quando ainda era presidente, e que dela participou Emílio Odebrecht, mas que não se pediu doações nessa reunião, apenas foi verificado se havia espaço para a criação de um instituto. Na ação a que responde o ex-presidente petista, os procuradores do Ministério Público Federal do Paraná acusam Lula de receber vantagens indevidas da construtora OAS, já que a empreiteira pagava 21 mil reais por mês para o armazenamento do acervo presidencial em estoques na empresa Granero.

As declarações de Fernando Henrique Cardoso confirmam o que diz a defesa do ex-presidente: o acervo presidencial não são bens pessoais, não configurando vantagem indevida a sua manutenção, que é uma obrigação legal dos ex-presidentes.
Reverência

No início da sessão, o Juiz Sérgio Moro deu um “bom dia especial ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso”. Moro também agradeceu FHC duas vezes pelo depoimento e se desculpou com o ex-presidente tucano em três oportunidades, pelo tipo de pergunta que FHC tinha que responder e pela duração do depoimento. Fernando Henrique Cardoso foi tratado como “excelência” e se desculpou por “falar demais”. Moro disse que o depoimento foi “muito interessante”.

Ainda em juízo, FHC explicou como montou sua base de apoio, o chamado “presidencialismo de coalizão”, formando com aliados uma base parlamentar maior do que aquela com a qual o ex-presidente foi eleito. Ele disse não ter conhecimento nem de cartelização, nem de casos de desvios citados por Nestor Cerveró. “Um presidente não tem como saber de tudo”, afirmou FHC. “Um ex-presidente ouve muita maledicência de um contra o outro que não pode levar ao pé da letra'”.